Problemas causados pelo excesso do uso do plástico – Parte 1

Plastico 1

É impressionante observar o tanto de plástico que consumimos hoje em dia. Olhe ao redor, tudo é feito de plástico! Mesmo que todos saibam dos problemas que envolvem o uso do mesmo, continuamos a fazê-lo de forma extensiva.

BPA é cancerígeno, prejudica as funções endócrinas, altera o funcionamento do hormônio feminino estrogênio, aumenta o risco de disfunção sexual em homens, além de reduzir a qualidade e concentração do sêmen, e também está relacionado a distúrbios cardíacos, obesidade e hiperatividade.

Estudos apontam que recorrente exposição ao BPA é prejudicial à saúde humana, pois não conseguimos eliminar a substância, em especial para as crianças de zero a doze meses, que têm menor capacidade de metabolizar o produto.

O Bisfenol A (BPA) é um composto utilizado na fabricação de policarbonato, um tipo de resina usada na produção da maioria dos plásticos. O BPA também é utilizado na fabricação do revestimento interno de latas que acondicionam alimentos para evitar a ferrugem e prevenir a contaminação.

Estudos comprovam que, ao entrar em contato com o organismo humano, a substância afeta o sistema endócrino, aumentando ou diminuindo a ação de hormônios naturalmente produzidos pelo corpo, trazendo danos à saúde, como hipotiroidismo, hipertireoidismo, infertilidade, modificações do desenvolvimento de órgãos sexuais internos, endometriose e câncer.

Geralmente a contaminação ocorre pela ingestão, o BPA dos recipientes plásticos se despreende e contamina o alimento.

Em 2011 a ANVISA publicou uma resolução determinando a proibição da utilização de BPA na produção de mamadeiras, entretanto, essa resolução é valida APENAS para produção de mamadeiras. E todos os outros produtos que contêm plástico? Bico, brinquedos, escova de dente, enlatados, vasilhas para guardar comida, extratos e comprovantes bancários e etc?

O grande problema é a falta de informação sobre a presença ou não de BPA nos produtos. Saber de pesquisas como essa aqui que revelam que mesmo os plásticos classificados como “BPA free” liberam partículas danosas, me deixa muito alarmada. 

Dicas para reduzir a exposição ao plástico:

  • Use utensílios de vidro, evite pratos, copos e outros utensílios de plástico.
  • Use mamadeiras BPA free
  • Caso utilize embalagens plásticas para guardar alimentos ou bebidas, fique atento aos símbolos de reciclagem nas embalagens. Procure pelos  números 2, 4 e 5, e evite 3 e 7, pois indicam que os mesmos contêm BPA na sua composição.
  • Descarte utensílios de plástico quebrados ou arranhados.
  • Não esquente no microondas bebidas e alimentos em embalagem de plástico. O bisfenol A é liberado em maiores quantidades quando o plástico é aquecido.
  • Evite levar ao freezer alimentos e bebidas embalados no plástico. A liberação do BPA também é maior durante o resfriamento do plástico.
  • Evite o consumo de alimentos e bebidas enlatadas, pois o bisfenol é utilizado no revestimento interno das latas.
  • Evite imprimir extratos e comprovantes. Dê preferência às versões digitais.

                      O que você faz para evitar o consumo do plástico? Comente e divida conosco!

Sobre Camila

Sou Camila Lobato, apaixonada pelas coisas simples da vida. Pelo pé no chão, pela verdura colhida da horta, pela fruta tirada do pé, um mergulho no mar, livros de cabeceira e conversas ao redor de uma fogueira. Aqui estão dicas, notas, aprendizados da minha jornada. Nascida em Minas Gerais, hoje morando no Canada. Advogada no Brasil e agora estudante de Nutrição Natural. Ser Simples é um blog para dividir conhecimento, para te inspirar a fazer escolhas conscientes e a buscar o que é essencial.
Esta entrada foi publicada em Meio Ambiente, Saúde. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a Problemas causados pelo excesso do uso do plástico – Parte 1

  1. Pingback: Menopausa – Como diminuir os sintomas de forma natural | Ser Simples

  2. Pingback: O Excesso do uso do Plástico – Parte 2 | Ser Simples

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *